59% são a favor de cotas para negros nas universidades públicas

Covas paralisa planos de abertura das escolas em São Paulo
Covas paralisa planos de abertura das escolas em São Paulo
novembro 19, 2020
Tema de redação: os problemas do saneamento básico no Brasil
Tema de redação: os problemas do saneamento básico no Brasil
novembro 23, 2020

59% são a favor de cotas para negros nas universidades públicas

59% são a favor de cotas para negros nas universidades públicas

Pesquisa PoderData indica que a maioria da população brasileira (59%) é favorável a cotas para negros nas universidades públicas. Outros 26% são contra, enquanto 15% não quiseram ou não souberam responder.

Cotas são modelos de ações afirmativas que têm como objetivo diminuir a desigualdade socioeconômica e educacional. No Brasil, a UnB (Universidade de Brasília) foi a 1ª a usar o sistema de cotas raciais, em 2004.

Agora, todas as instituições de ensino do país são obrigadas por lei a reservar pelo menos 50% de suas vagas a estudantes que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas. Normalmente, dentro dessas vagas há subdivisões –destacando-se reservas também para pretos, pardos e indígenas.

Universidades de outros países também usam o sistema. Alguns exemplos são: África do Sul, Austrália, Canadá e Estados Unidos.

A pesquisa foi realizada pelo PoderDatadivisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Os dados foram coletados de 9 a 11 de novembro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 501 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

ESTRATIFICAÇÃO DEMOGRÁFICA

O estudo destacou, também, os recortes para as respostas à pergunta sobre a percepção dos brasileiros sobre cotas nas universidades.

Os mais ricos (mais de 10 salários mínimos) são os mais favoráveis às cotas. Já os com ensino superior (37%) e os que ganham de 5 a 10 salários mínimos (36%) são os mais contrários.

Bolsonaristas & cotas

O presidente Jair Bolsonaro já criticou diversas vezes o sistema de reserva de vagas para negros. Diz que a política “cria divisão”.

Essa percepção parece influenciar sua base de apoio, que é proporcionalmente mais contrária à medida, segundo o PoderData. Já os que rejeitam o chefe do Executivo são mais favoráveis.

RACISMO ESTRUTURAL EM DADOS

Na Síntese de Indicadores Sociais 2020 (5MB), o IBGE analisa as condições de vida da população brasileira, de acordo com dados da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) e de outras fontes oficiais de informação.

O estudo revela desigualdades estruturais, evidenciadas em relações de trabalho que ainda mantêm grupos populacionais como pretos ou pardos, na informalidade ou no desemprego. Um dos principais indicadores do mercado de trabalho, a taxa de desocupação, foi de 9,3% para brancos, e 13,6% para pretos ou pardos em 2019.

Entre pessoas ocupadas, o percentual de pretos ou pardos em ocupações informais chegou a 47,4%, enquanto entre os trabalhadores brancos foi de 34,5%. O rendimento-hora de brancos com nível superior era de R$ 33,90, enquanto pretos e pardos com o mesmo nível de instrução ganhavam R$ 23,50 por hora trabalhada.

Entre as pessoas abaixo das linhas de pobreza, 73,6% eram de cor preta ou parda e só 25,4% eram brancas.

O infográfico abaixo é interativo, sendo assim possível passar o cursor do mouse para verificar os percentuais.

A população ocupada de cor ou raça branca ganhava em média 73,4% mais do que a preta ou parda. Em valores, significava uma renda mensal de trabalho de R$ 2.884 frente a R$ 1.663.

Os dados indicam ainda que 45,2 milhões de pessoas residiam no ano passado em 14,2 milhões de domicílios com algum tipo de inadequação. Desta população, 13,5 milhões eram de cor branca e 31,3 milhões pretos ou pardos.

PODERDATA

Leia mais sobre a pesquisa PoderData:

O conteúdo do PoderData pode ser lido nas redes sociais, onde são compartilhados os infográficos e as notícias. Siga os perfis da divisão de pesquisas do Poder360 no Twitter, no Facebook, no Instagram e no LinkedIn.

Informações deste post foram publicadas antes pelo Drive, com exclusividade. A newsletter é produzida para assinantes pela equipe de jornalistas do Poder360. Conheça mais o Drive aqui e saiba como receber com antecedência todas as principais informações do poder e da política.

Fonte: https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/59percent-s%c3%a3o-a-favor-de-cotas-para-negros-nas-universidades-p%c3%bablicas/ar-BB1b9Zdu